Crítica | Tom & Jerry – O Filme (2021): estão no título, mas não são os protagonistas

Crítica | Tom & Jerry – O Filme (2021): estão no título, mas não são os protagonistas

Crítica | Tom & Jerry – O Filme (2021): estão no título, mas não são os protagonistas 150 150 Super Anfitrião
Nostalgia vende. Não é à toa que, nos últimos anos, estúdios venham lançando versões cinematográficas de propriedades intelectuais que tenham tido uma boa dose de fama no passado. A ideia de trazer desenhos animados para o mundo real, onde os personagens interagem com pessoas, não é nova, e filmes como “Os Smurfs” e “Zé Colmeia: O Filme” aconteceram. Em 2021, a Warner Bros. faz uma nova tentativa desta fórmula ao trazer para as telas “Tom & Jerry: O Filme”.

Tom e Jerry são um gato e um rato que estavam sempre em pé de guerra. Protagonistas de uma famosa série animada lançada em 1975 (que por si só já teve suas renovações), esses dois animais conquistaram toda uma geração, que hoje está adulta e pode até se empolgar em revisitar personagens queridos. Talvez esse público ache algum tipo de entretenimento em uma cena ou outra, porque este longa repete os erros dos outros mencionados e se revela algo entediante, oco e bobo demais.

Quando se traz personagens de desenhos animados para o mundo real, é preciso ter interações com atores humanos, e a protagonista aqui é Kayla (Chloë Grace Moretz), uma jovem que, por meios escusos, consegue um emprego em um hotel de luxo em Nova York. Um casal bem famoso está para ter seu casamento no local e a pressão para que tudo corra bem é grande, afinal, eles são mais famosos que papas e rainhas. Jerry acaba se instalando no hotel em busca de vida boa, e a chance de um rato ser visto num hotel desse porte é algo inaceitável, por isso Kayla contrata Tom para remover o problema.

Se a história parece simplória demais, não há o mínimo esforço para que a forma com que ela é contada seja algo que, de fato, entretenha. Moretz se esforça para tirar leite de pedra, mas toda a trama envolvendo humanos é enfadonha e desnecessariamente longa. O gato e o rato não são os protagonistas, mas sim os humanos, que têm sua história de vez em quando pincelada por alguma sequência em que a dupla de animais tenta se derrotar. A narrativa é tão preguiçosa que precisa apelar para pombos cantantes aparecendo em alguns momentos para reafirmar o que está acontecendo, tratando o público como bobocas incapazes de acompanhar a pífia sequência de acontecimentos.

O desenho animado era engraçado pela criativa sequência de comédia física, sem depender de palavras e falas. Infelizmente, este longa parece não entender isso. Sim, há alguns momentos assim, mas são tão poucos que não conquistam. Adultos terão pouca nostalgia para curtir aqui, e crianças que estão sendo apresentadas a estes personagens pela primeira vez não lembrarão deles um dia após terem assistido ao filme.

Ao tratar os personagens do título como meros coadjuvantes, “Tom & Jerry – O Filme” não faz nenhum favor a esta franquia. Os humanos com quem eles interagem não são interessantes e ocupam tempo demais de tela com uma história languidamente patética. Nostalgia pode até vender, mas nostalgia barata dá parcos resultados.

Fonte: https://cinemacomrapadura.com.br/criticas/597720/critica-tom-jerry-o-filme-2021-estao-no-titulo-mas-nao-sao-os-protagonistas/

O que achou? Deixe seu comentário:

💼 Explore o setor com nossas soluções: invista em uma franquia Super Anfitrão! 

X
error: Conteúdo indisponível.