7 tendências para o setor de franquias em 2021 – Pequenas Empresas Grandes Negócios

7 tendências para o setor de franquias em 2021 – Pequenas Empresas Grandes Negócios

7 tendências para o setor de franquias em 2021 – Pequenas Empresas Grandes Negócios 150 150 Super Anfitrião

Compras; vendas; lojas; loja (Foto: Anna Shvets / Pexels)

Pontos de venda passarão por transformações em 2021 (Foto: Anna Shvets / Pexels)

Delivery, educação à distância, videochamadas e marketing digital se tornaram termos ainda mais recorrentes na rotina das redes de franquias em 2020, com a pandemia do novo coronavírus. As empresas precisaram readequar processos e até flexibilizar padronizações para atender a regulamentações regionais.

Por outro lado, mesmo em meio às adversidades, novos negócios foram criados, unidades foram repassadas para novos empreendedores e franqueadores e franqueados se aproximaram ainda mais, mesmo que à distância, em busca de soluções conjuntas para enfrentar a crise.

A Associação Brasileira de Franchising (ABF) ainda não divulgou os dados consolidados de 2020, mas, ao longo do ano, nos levantamentos periódicos, foi possível observar alguns movimentos positivos em segmentos como Casa e Construção, com crescimento de 36% em julho, impulsionado pelo isolamento social e a aderência massiva ao home office, e Saúde, Beleza e Bem-Estar, na reabertura da economia, com crescimento de 9,9% no terceiro trimestre.

A aposta do presidente da ABF, André Friedheim, é que Casa e Construção ainda colha frutos ao longo de 2021, com a consolidação do trabalho remoto ou híbrido, e que outros segmentos também consigam se destacar, como serviços, negócios de alimentação que tenham uma base estruturada de delivery e lojas de conveniência em bairros, que atendem a demanda de supermercados. Em dezembro, a AmPm confirmou, em entrevista ao Valor Econômico a abertura de pontos reformulados fora dos postos Ipiranga.

O presidente da ABF, André Friedheim (Foto: Keiny Andrade/Divulgação)

O presidente da ABF, André Friedheim (Foto: Keiny Andrade/Divulgação)

Confira outras tendências para o setor de franquias em 2021:

1. Reuniões virtuais
Friedheim acredita que as videoconferências vieram para ficar. “Criou-se uma grande janela entre franqueador e franqueado, e todo mundo gostou disso. Menos custos, mais interação, e uma gestão mais horizontalizada, com o franqueado dando mais ideias, participando.”

Ele avalia que os encontros entre franqueados e franqueadores devem ocorrer com intervalo menor, por conta da tecnologia e da proximidade criada ao longo de 2020. Além disso, os custos com viagens para consultoria de campo tendem a cair.

2. Multifranqueados
Os franqueados que comandam múltiplas unidades já fazem parte do ecossistema de franquias há algum tempo, mas o perfil ganhou força durante a pandemia e deve avançar nos próximos meses. “Esse empreendedor aproveita oportunidades com menos custos, assumindo operações deficitárias ou de franqueados que passam por mais dificuldades na gestão”, diz.

3. Métricas e suporte personalizado
As métricas de desempenho das operações serão observadas mais de perto, o que permitirá identificar mais rapidamente quando houver necessidade de ajustes. “Haverá uma melhor gestão de custos. As redes e os franqueados vão avaliar a metragem dos pontos, troca de equipamentos, entre outros aspectos que possam deixar a gestão mais eficiente.”

Pelo avanço no uso de indicadores em 2020, as redes começaram a perceber que os franqueados são diferentes e têm demandas distintas, cada um com sua particularidade. Isso desencadeou um movimento de prestação de suporte, inclusive de campo, mais personalizado, e esse legado deve permanecer, na visão de Friedheim.

4. Fusões, aquisições e colaborações
Os movimentos de compra e união de redes de franquia, que cresceram em 2020, devem se intensificar em 2021 em busca de escala e melhores negociações de pontos e com fornecedores, de acordo com Friedheim.

Ao mesmo tempo, colaborações também devem se tornar comuns, com marcas que têm sinergia dividindo o mesmo espaço. “Vimos isso com as dark kitchens em 2020, mas também teremos esse movimento em pontos físicos.”

5. Novos pontos comerciais
A busca pelo compartilhamento de espaço deve ser uma das tendências a serem observadas em pontos comerciais para franquias em 2021. Ao longo de 2020, algumas marcas, como a Kidstock, trocaram shopping centers por lojas de rua, em busca de custos menores.

O reajuste nos contratos de aluguel, com base no IGP-M, que cresceu 23% em 2020, deve ser um impulso para que franquias busquem novas opções de pontos de venda, na visão de Friedheim.

6. Omnicanalidade e discussão sobre territórios
Com o avanço das vendas online, a questão de territorialidade deve entrar na pauta das franquias em 2021. Em redes de ensino, por exemplo, os cursos à distância permitem alcançar alunos de outras praças e até outras cidades. “Não é mais o cliente que vai ate à loja, é a loja que vai até o cliente. Com isso, a tendência é que, em franquias novas, o território seja muito mais flexível. Isso deve passar por um processo de revisão nas empresas.”

A omnicanalidade também deve se intensificar, na visão de Friedheim, com o surgimento de novos canais de venda e uma maior integração entre meios digitais da marca e unidades físicas. “As franqueadoras viram que a entrega feita na ponta pelo franqueado é muito mais barata.”

7. Consolidação das microfranquias
As redes com investimento inicial inferior a R$ 90 mil, classificadas pela ABF como microfranquias, já são populares há alguns anos, e ganham ainda mais escala à medida que o poder de investimento reduz. No ano passado, redes tradicionais anunciaram novos modelos que se enquadram nesse formato de aporte, como Cacau Show e Bibi Calçados.

O presidente da ABF acredita que essas redes ainda devem crescer em 2021. Tanto que a entidade prepara alterações no ranking das 50 maiores franquias do país em número de unidades, com divulgação prevista para fevereiro. Agora, as microfranquias terão uma listagem própria, separada das redes maiores. No levantamento de 2019, duas redes com invetimento inferior a R$ 90 mil já constavam entre as dez maiores redes do país, no quadro geral: Acqio e Kumon.

Fonte: https://revistapegn.globo.com/Franquias/noticia/2021/01/7-tendencias-para-o-setor-de-franquias-em-2021.html

O que achou? Deixe seu comentário:

💼 Explore o setor com nossas soluções. Invista em uma franquia Super Anfitrão

X
error: Conteúdo indisponível.