Como se preparar para a nova Era do Empreendedorismo

Como se preparar para a nova Era do Empreendedorismo

Como se preparar para a nova Era do Empreendedorismo 150 150 Super Anfitrião

No novo mundo de hoje, há apenas duas opções: ampliar a sua educação financeira e aprender a criar o seu próprio patrimônio ou ficar cada vez mais pobre e contar com o governo e os ricos para cuidarem de você.

Estamos
vivenciando um grande ponto de virada na história da
humanidade. Os dias de ir pra faculdade, conseguir um emprego seguro e investir
no longo prazo ficaram no passado. Estamos em uma nova era —
a era do empreendedorismo.

Hoje,
a barreira de entrada para o empreendedorismo é quase inexistente. Mas, para
abraçar as oportunidades disponíveis para todos, é necessária uma nova
mentalidade — a mentalidade de um empreendedor.
De fato, a mentalidade geralmente é a linha divisória entre aqueles que são
bem-sucedidos na vida e aqueles que não são.

Uma das razões pelas quais eu comecei a me tornar um empreendedor e investidor precocemente foi porque assim eu teria uma vida inteira diante de mim para me aprimorar nos quadrantes D (Dono) e I (Investidor), em vez de nos quadrantes E (Empregado) e A (Autônomo).

Eu sabia que se tivesse meu próprio negócio e investisse por mim mesmo não precisaria me preocupar com o fato de alguém ter controle sobre a minha vida, quanto ganhava, quando poderia sair de férias e quando poderia me aposentar. Embora eu tenha falhado no começo, quando tinha entre 25 e 35 anos, depois eu fui me tornando cada vez melhor nos negócios e nos investimentos.

Momento de grande mudança = Momento
de grandes oportunidades

O mundo que conhecíamos não existe mais. O que era verdade em janeiro deste ano, não é verdade hoje. Como disse, os dias de conseguir um emprego seguro acabaram. Mas esta mensagem não é de destruição e tristeza. Esta é uma mensagem de esperança e oportunidade.

Quando as coisas mudam tão drasticamente quanto nos últimos meses, pode ser difícil perceber, mas esses momentos criam as maiores oportunidades.

Em 2007, por exemplo, Brian Chesky e Joe Gebbia tiveram a ideia de alugar um colchão de ar em sua sala de estar em San Francisco. Mal sabiam que em dezembro daquele ano seria o início da Grande Recessão e isso abriria portas para uma grande oportunidade.

O Airbnb reinventou o mercado de hospedagem de curto prazo para aqueles que não podiam arcar com os custos das diárias de hotéis. Em 2009, eles receberam financiamento de Venture Capitalists (VCs) de primeira linha e tiveram um crescimento explosivo.

A Warby Parker, uma rede de óticas americana de sucesso, foi criada no meio da Grande Recessão. Os fundadores identificaram um enorme problema no mercado – era praticamente impossível comprar online um par de óculos da moda a preços acessíveis.

Eles aproveitaram o momento de vacas magras e começaram a transformar a Warby Parker em um negócio próspero e também líder no mercado de venda direta ao consumidor e via e-commerce.

Construindo a musculatura
empreendedora

Muitos
“especialistas” dizem: “Os empreendedores fracassam porque estão
pouco capitalizados”. Esse medo de se ter pouco capital, essa falta de
dinheiro e a ausência de um salário fixo é o que mantém a maioria das pessoas
apegadas à segurança da posição como empregado.

Embora
ter pouco capital seja um desafio, não é por isso que a maioria dos
empreendedores fracassam. Na verdade, são as duras lições de sair pelo mundo e dar
a cara para bater, tentar e, sim, às vezes fracassar que os ajudam a aprimorar
suas habilidades empreendedoras. É o que eu chamaria de construção da
musculatura empreendedora.

Eu
sempre acho engraçado quando ouço as pessoas dizerem: “Ah, ela teve sorte”.
Ou “Eles fizeram sucesso da noite para o dia”. Poucos reconhecem ou
apreciam a verdadeira história por trás dos sucessos empresariais. A razão pela
qual eles conseguiram é que aprenderam o segredo. O segredo da liderança.

A principal razão pela qual a maioria dos novos empreendedores fracassa é simplesmente a falta de treinamento básico, das forças essenciais necessárias para suportar as exigências de ser um empreendedor. Alguns chamam isso de coragem. Outros chamam de perseverança.

Nas Forças Armadas, seria colocado da seguinte forma: “Levante-se, tire a bunda da cadeira, pare de sentir pena de si mesmo, pare de fazer bico, pare de chupar o dedo e continue. Sua mãe tem vergonha de você — porque sua mãe é mais forte que você.” Eu acho que você entendeu o ponto aqui.

Outro
motivo importante pelo qual a maioria dos empreendedores fracassa é que nosso
sistema educacional prepara as pessoas para serem empregados, não
empreendedores. O mundo de um empregado é muito diferente do mundo de um
empreendedor. Uma grande diferença é o conceito de contracheque.

Se
você pensar bem, perceberá que a pessoa que assina o pagamento do seu salário
controla a sua vida. Essa pessoa não deveria ser você? Provavelmente sim, caso
você seja forte o bastante.

Se
um funcionário não recebe seu “salário”, ele sai a procura de um novo
emprego. A maioria dos empreendedores deve ser forte o suficiente para
trabalhar, às vezes por anos, sem um “salário”.

Não
é preciso dizer que, para criar sua musculatura como empreendedor, você precisa
parar de exercitar a sua musculatura como funcionário. Fazer isso paralelamente
pode ser uma opção, mas em algum momento você terá que cortar esse cordão
umbilical.

Quem pode ser um empreendedor?

Quando eu estava começando minha jornada, aos 25 anos, meu pai rico e meu pai pobre sabiam que eu não era uma pessoa academicamente inteligente. Meu pai pobre, uma estrela acadêmica, me disse: “Você sempre será um aprendiz lento”.


que eu não aprendia rápido, meu pai rico disse: “Você precisa se dedicar a
aprender lentamente, mas a aprender sempre. Essa é a sua maior chance de
vitória”.

Ele
também disse: “O desejo pode levá-lo a lugares onde a lógica não
pode”. Eu só escrevi um livro best-seller internacional aos 50 anos. Tendo
fracassado no ensino médio duas vezes por escrever mal, o fato de eu ter hoje
vários livros na lista dos mais vendidos do jornal “The New York
Times” não é lógico.

Assim que terminei a faculdade, a maioria dos meus colegas de classe ganhou mais dinheiro do que eu. Hoje, ganho muito mais dinheiro do que a maioria dos meus colegas que se saíram bem nos estudos e conseguiram empregos bem remunerados.

Como demorei para começar a dar certo, me tornei bem-sucedido financeiramente no fim da vida. Por ser um aluno com desempenho lento, levei mais tempo para começar e obter a educação e a experiência que precisava.

Mas descobri o que precisava saber apenas me esforçando um pouco e nunca desistindo, mesmo que muitas vezes quisesse. Portanto, continue aprendendo a investir, não importa quantos anos você tenha, quanto dinheiro você tenha. Todos os dias que você aprende algo novo, você melhora sua atuação no jogo.

A
boa notícia é que qualquer um pode ser um empresário —
da geração Y aos baby boomers —, desde que esteja disposto
a trabalhar. Cada um tem seus próprios pontos fortes para apresentar e cada um
tem suas próprias lições para aprender ao longo do caminho.

Mas isso significa que só ter a mentalidade de empreendedor ou se considerar um não é suficiente. Você precisa realmente agir como um.

Fonte: https://www.seudinheiro.com/2020/colunistas/coluna-do-pai-rico-pai-pobre/a-era-do-empreendedorismo/

O que achou? Deixe seu comentário:

💼 Explore o setor com nossas soluções: invista em uma franquia Super Anfitrão! 

X
error: Conteúdo indisponível.